>-->

Mané Garrincha, Vinicius de Moraes e o Botafogo

By | 19:49 4 comments
Hoje (18/10) é aniversário de  Mané Garrincha; amanhã o de Vinicius de Moraes. Um, gênio da bola; o outro, gênio da alma... Ambos Botafogo.  
Hoje, bem cedinho, vi os dois se abraçando bem no coração de nossa Estrela Solitária e o Vinicius dizendo ao Mané: " O Botafogo é infinito posto que é chama".


Mané Garrincha, Vinicius de Moraes e o Botafogo
                                                                            
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

4 comentários:

  1. No meu humilde modo de ver futebol (pq não entendo nada) Garrincha foi e será ídolo isolado disso eu não tenho duvidas. E me lembrei que um dia li esta cronica do poeta Carlos Drummond.

    "Se há um Deus que regula o futebol, esse Deus é sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios. Mas, como é também um Deus cruel, tirou do estonteante Garrincha a faculdade de perceber sua condição de agente divino. Foi um pobre e pequeno mortal que ajudou um país inteiro a sublimar suas tristezas. O pior é que as tristezas voltam, e não há outro Garrincha disponível. Precisa-se de um novo, que nos alimente o sonho.

    — Carlos Drummond de Andrade

    Quanto ao poetinha...nada a declarar ele foi o MÁXIMO!!

    Beijos!

    flor de cristal

    ResponderExcluir
  2. Esta crônica de Drummond é linda Flor, e Garrincha foi, em minha modesta opinião, algo muito maior que Rei, Príncipe ou Imperador, como a mídia gosta de batizar grandes estrelas, foi, simplesmente: A Alegria do Povo, o que de mais belo pode haver que ser a alegria de seu povo?

    ResponderExcluir
  3. Anônimo10/21/2012

    Esse poema do Drummond e o "anjo da pernas tortas" do Vinicius em homenagem ao Garrincha, são incriveis são 3 genios se transfundindo atraves do don generosamente dado por DEUS, e dentro da meneira de cada um, muito bem aproveitado, um falou da beleza de um conjunto, outro falou da beleza do amor e das mulheres já o outro simplificou tudo com a magestade de um Rei a imponencia de um Deus e a simplicidade de um bobo da corte onde fez nobres e plebeus rirem ate de si mesmo, o Drummond foi genial o Vinicius foi um incrivel sonho de amor e o Garrincha pra quem não o viu jogar acha que tudo não passa de montagem da TV, então pensando bem! acho que ele não existiu mesmo, ou melhor os tres genios não existiram, são Deuses e Deuses não morrem, eles serão eternos e não sera enquanto dure, serão apenas eternos.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo10/21/2012

    Desculpe-me o publicado acima foi escrito por um flamenguista, morador da ilha do gov proximo a casa onde o Vinicius morou, que ama a poesia e adora o bom futebol.
    Moacir (Moa)

    ResponderExcluir