14 de agosto de 2020

Agora é o Carlos Bolsonaro que tá sendo acusado de envolvimento com "rachadinhas". Num tá "mermo"! O negócio dele é outro...

Agora é o Carlos Bolsonaro que tá sendo acusado de envolvimento com "rachadinhas".

Num tá "mermo"! O negócio dele é outro...
🎭🎭🎭🍧🍧🍧🌹🌹🌹🌷🌷🌷🦌🦌🦌

Queiroz! Ó Queiroz! Tenha pena de nós e solta logo a porra dessa voz!

Queiroz! Ó Queiroz! Tenha pena de nós e solta logo a porra dessa voz!
🙏🙏🙏

12 de agosto de 2020

Rabicu, o guru vândalo, volta do Butão e vai ministrar palestras em Brasília

Rabicu, o guru vândalo, andou sumido. Estava dando um curso de Orgia Espiritual em um puteiro, quer dizer, mosteiro, no Butão (não no meu, que sou espada) e em seu retorno ao Brasil já programou duas palestras aqui em Brasília.
A primeira será pra turma da direita: O Gado Fascista e Teoria Econômica Queiroziana.
A outra pra turma da esquerda: Espiritualidade Marxista e Fé Ateísta.
E tem mais novidades: Rabicu, o guru vândalo, depois da delação premiada, vai lançar um concurso erótico-espiritual, será a “I Felação Premiada”.
A vencedora e o vencedor ganharão uma viagem a Roma, pois, como diz o ditado popular, quem tem boa boca vai Roma.
Rabicu sabe, Rabicu diz.
🤲🤲🤲😇😇😇💥💥💥🔥🔥🔥

11 de agosto de 2020

Bolsonaro quer jogar "bomba" de cloroquina com ozônio na Amazônia para acabar com incêndios na floresta

BarãoNews urgente:
Bolsonaro quer jogar "bomba" de cloroquina com ozônio na Amazônia para acabar com incêndios na floresta.
🙏🙏🙏☠️☠️☠️💀💀💀😦💩💩💩🔥🔥🔥

Uma coisa que não se pode negar é o cuidado com a higiene da "famiglia" Bolsonaro: só usam dinheiro lavado

Uma coisa que não se pode negar é o cuidado com a higiene da "famiglia" Bolsonaro: só usam dinheiro lavado!

Uma coisa que não se pode negar é o cuidado com a higiene da "famiglia" Bolsonaro: só usam dinheiro lavado!

Sugestão do Barão ao Bozo

Sugestão do Barão ao Bozo
Ontem à noite (10), Bolsonaro, mais uma vez, foi à rua fazer demagogia sem usar máscara e provocar aglomeração aqui em Brasília. E, de novo, cobrou a volta do povo ao trabalho.
Que tal dar o exemplo, Bozo? Mande os funcionários públicos da elite estatal voltarem a trabalhar presencialmente, depois cobre "normalidade" da Nação.
Você não é macho?! Faça isso e quero ver se fica mais um mês no cargo. Mandar os pobres para o matadouro é fácil.
Bozo é muito macho com os mais frágeis. Foi só engaiolarem o Queiroz que ele afinou. Agora, depois de passado o susto, já começou a botar as mangas autoritárias de fora novamente.
Ah, e quando, Bozo, você vai explicar os R$89 mi depositados na conta da Michelle pelo Queiroz e sua esposa? Estamos aguardando.
O Temer mandou um abraço! E avisar que "tem de manter isso aí, viu?"
🍊🍊🍊🤡🤡🤡🤫🤫🤫😡😡😡

10 de agosto de 2020

A viúva não paga, já entrou com o defunto

Meu querido amigo, o filósofo etílico-existencialista (95% etílico), o grande Jilozinho, lenda viva de São José do Calçado (ES), a cidade onde nasci, trabalhava em Divino de São Lourenço, um povoado que fica no interior do interior do Sul do Espírito Santo.
Um dia, corria o ano da graça- quando os anos tinham graça e não desgraça, como esse maldito 2020!- de 1983, morre um amigo do Jilozinho lá. Pinguço afamado na região e adjacências.
Lugar pequeno, logo a notícia se espalhou e a pinguçada  rumou para a casa do defunto ainda fresco. Era fim de tarde.
Depois de um tempo, com o falecido já trajado e  confortavelmente deitado em sua última morada, seu corpo é colocado no meio da sala para ser devidamente pranteado.
Log a turma começou a ficar com fome e sede- de pinga. Jilozinho logo deu a solução: foram no quintal da casa do finado, na de dois vizinhos, e pegaram umas três ou quatro galinhas. Rapidamente as penosas estavam no fogo. Jilozinho, então, disse à tropa de pés-inchados: -"Crianças, vamos fazer uma vaquinha pra comprar umas garrafas de cana, pra beber nosso amigo e comemorar sua última viagem!"
Com um saquinho na mão, nosso herói começou a recolher as contribuições da turba sedenta.
Quando Jilozinho passa perto da viúva (que chorava, mas de felicidade por se livrar do traste, segundo as más línguas) ela também deposita um qualquer no saco do Jilozinho.
Sem pestanejar, Jilozinho enfia a mão no saco, retira o dinheiro da escabiosa, devolve a ela, e diz, com autoridade: -Você não precisa dar nada, já entrou com o defunto! Tá muito bom!
Dizem que até o falecido gargalhou em sua urna de viagem para o além... Amém!

Jilozinho trabalhava em Divino de São Lourenço, um povoado que fica no interior do interior do Sul do Espírito Santo.  Um dia, corria o ano da graça-quando os anos tinham graça e não desgraça, como esse maldito 2020!- de 1983, morre um amigo do Jilozinho. Pinguço afamado na região e adjacências.  Lugar pequeno, logo a notícia se espalhou e a pinguça da  rumou para a casa do defunto ainda fresco. Era fim de tarde.  Depois de um tempo, com o falecido já trajado e  confortavelmente deitado em sua última, seu corpo é colocado no meio da sala para ser devidamente velado.  Logo a turma começou a ficar com fome e sede, de pinga. Jilozinho logo deu a solução: foram no quintal da casa e de dois vizinhos e pegaram umas três ou quatro galinhas. Logo as penosas estavam no fogo. Jilozinho, então, disse à tropa de pés-inchados: -"Crianças, vamos fazer uma vaquinha pra comprar umas garrafas de cana, pra beber nosso amigo e comemorar sua última viagem!"  Com um saquinho na mão, nosso herói começou a recolher as contribuições da turba sedenta.  Quando Jilozinho passa perto da viúva (que chorava, mas de felicidade por se livrar do traste, segundo as más línguas) ela também deposita um qualquer no saco do Jilozinho.  Sem pestanejar, Jilozinho enfia a mão no saco, retira o dinheiro da escabiosa, devolve a ela, e diz: - Você não precisa dar nada, já entrou com o defunto! Tá muito bom!  Dizem que até o falecido gargalhou em sua urna de viagem!