>-->

Tonicão, meu pai

By | 10:09 10 comments
Tonicão, meu api
Tonicão em foto de 1958
Tonicão, meu pai
Zatonio Lahud

Dia dos Pais, minha mãe avisa a mim e meus irmãos que o pai viria mais cedo para jantarmos juntos em um restaurante. Era uma sexta-feira ( no domingo os restaurantes ficam lotados ), estranhei a notícia pois meu pai não era dado a comemorações do gênero, Achava puro comércio, comerciante que era.
Marcou para 20 horas.
Antonio Lahud, era seu nome de batismo, Tonicão para todos. Pesava cerca de 110 kg- quando magro, o normal era por volta de 120 kg, distribuídos com fartura por cerca de 1,83 m de altura.

Todo mundo pronto, esperando sua chegada e nada do velho aparecer. Deu nove horas, dez, onze, meia-noite e nada, nem sombra do pai.
- Sabia- diz a mãe, hoje é sexta-feira, deve estar bebendo com os amigos e esqueceu da gente, vou preparar alguma coisa para vocês comerem. Quando ele chegar vai se ver comigo, deixa ele!- exclamou e saiu furinbunda, rumo à cozinha.

Todos de cara feia, com fome, sexta-feira perdida, quando entra o pai- já meio alto, uma sacola em umas das mãos, na outra um pequeno embrulho.
- Poxa, pai!- digo- começando a reclamar.
- Ninguém fala nada, eu explico, mas antes peguem uma cerveja para mim. Minha irmã foi lá, pegou a cerveja, o serviu e sentamos para ouvir a explicação:
- Demorei por causa disso aqui- disse- colocando o pequeno embrulho por sobre a mesa.Ganhei de presente dos meninos lá do posto- completou, já chorando.

O presente era uma carteira de dinheiro, daquelas feita em plástico barato, e ornada com o escudo do Flamengo. Os meninos eram dois garotinhos negros e muito pobres, que ficavam calibrando pneus no posto. Eram simpáticos e meu pai logo se tomou de amores pelos dois. Passou a dar almoço, comprou camisa do Flamengo, acompanhar os estudos... Essas coisas de pai.
- Mas por que está chorando?- indaguei.

- Vocês não entendem: quando estava saindo do posto os meninos vieram e me deram a carteira de presente pelo dia dos pais, compraram com o dinheirinho que ganham lá, calibrando pneus- disse ele, aos prantos.

- E aí?- perguntei.

- Me deram um abraço, um beijo e não aguentei! Comecei a chorarbotei os dois no carro e levei-os para jantar em um restaurante- nunca tinham ido em um, comeram à vontade, tomaram sorvete, uma farra danada! Depois comprei seis galetos para cada um levar pra casa e comprei mais seis pra vocês: tão aí nessa sacola! Foi isso que aconteceu, agora podem zangar- terminou, lágrimas escorrendo por seu rosto.

Como que combinados, levantamos os três, eu, meu irmão e minha irmã e fomos dar um abraço no velho- todos com lágrimas nos olhos.

As lágrimas que escorrem em meu rosto agora não são só de tristeza e saudade por sua ausência, não pai, são antes lágrimas de alegria e orgulho por ter sido você o meu pai.

Saudade.


PS: Hoje, 19/12/2016, completam-se 25 anos da morte de meu pai.



                                                                                 

                                                                         



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

10 comentários:

  1. Nunca é demais falar do que é bom. Parabéns pelo teu Pai.

    ResponderExcluir
  2. Que bacana, que lindo isto.



    Um homem de verdade é assim mesmo. Sensível às coisas do coração, e só enxerga por ele.



    E olha, meus olhos acompanharam os seus e também se encheram de lágrimas.



    Valéria

    ResponderExcluir
  3. Lindo, Zatônio! Me amocionei aqui.

    Abração!

    Bruna Scopel.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Tio Toinho!

    ResponderExcluir
  5. Conheci Tonicão ainda em Bom Jesus, quando trabalhava na loja do seu João Borges. E, logo de cara, eu ainda moço, pude sentir que ali estava um homem de bem com a vida, sempre com um sorriso no rosto.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo8/10/2010

    NOSSA PRIMO, COM ESSA VC ARRASOU!!!! SÓ QUEM CONHECEU DE PERTO SABE O TAMANHO DO CORAÇÃO DO TO TONICO, ALIÁS, DUAS GRANDES PAIXÕES DA MINHA VIDA, TIO TONICO E VOVÓ. CHORO CONTIGO PRIMO, PELAS MESMAS RAZÕES, NÃO ´"SÓ" PELA SAUDADE, MAS PRINCIPALMENTE PELA AUSENCIA , EMBORA SAIBA QUE, EMBORA INVISÍVEIS, JAMAIS SERÃO AUSENTES, MAS, PRESENTES PELO GRANDE LEGADO DE BONS EXEMPLOS Q DEIXARAM. VC NÃO TEM IDÉIA DO BEM Q ME FEZ, REVER ESSA FOTO TÃO LINDA!!!!! BJOS. DAISY

    ResponderExcluir
  7. Pois é, meu amigo, o tal do Zatoim também chora! E, com certeza, tem um coração herdado, enorme como o do seu pai.
    Um BEIJO, com todas as letras, muito carinhoso.
    MarGGa

    ResponderExcluir
  8. Oi amiga, obrigado pro sua generosidade. Beijo!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo3/02/2012

    Muito legal 0 que vc escreveu a respeito do seu Pai! Eu conheci o seu Pai muito bem quando passei o primeiro Carnaval fora de casa. O Tiao Marques, outra figura fantastica, pediu a meu Pai que deixasse eu ir com ele e Leda para o Carnaval de Guarapari. Tinha 15 anos e seus pais tb foram nessa viagem. Foi de fato, uma pessoa rara e generosa, com apenas um defeito grave; era flamenguista. Um abraco fraterno, Tarcisio Thiebaut
    Em tempo: fui ao jogo contra o Americano.

    ResponderExcluir
  10. Anônimo12/19/2013

    Sei que me daria muito bem com ele... Cheguei tarde.

    Silvia Britto.

    ResponderExcluir