>-->

O Botafogo nunca permitiu que a criança morresse no coração no homem

By | 10:56 12 comments
O Botafogo nunca permitiu que a criança morresse no coração no homem
Roberto Miranda fez o "meu" primeiro gol no Maracanã
Nove de junho de 1968. O garoto de 12 anos recém-chegado do interior adentra o Maracanã pela primeira vez. Fica sem fala com a imensidão do estádio e os cantos da torcida. Botafogo x Vasco, decisão do Campeonato Carioca. Mais de 150 mil pessoas fazem uma festa inimaginável para o menino tímido de São José do Calçado ( ES ). Uma imagem que jamais saiu de sua memória.
Depois, a tensão. O roer das unhas. A paixão pelo Botafogo. Golllll.... Roberto. O garoto vibra. Agita a pequena bandeira do Botafogo. Feliz. Muito feliz. O seu primeiro gol no Maracanã. Depois, Rogério: 2 x 0. Termina o primeiro-tempo. Cachorro-quente ( Geneal ), Mate Leão e Chicabon.
Começa o segundo tempo. O Botafogo domina. A torcida canta. Jairzinho: 3 x 0. Fatura liquidada. Olé!... Olé!... Olé!... gritava o extasiado menino. Gérson comandava o espetáculo. E, como maestro, encerrou o show: 4 x 0.
É campeão! É campeão! É campeão! Umas lágrimas escorrem pelo rosto do menino. Felizes.
Mal sabia o menino, ao descer a rampa do Maracanã comemorando seu primeiro título, o que a vida lhe reservara. O Botafogo. O Glorioso. A Selefogo... Acabou-se. Foram 21 anos de sofrimento. Nada havia restado. Nem mesmo a sede e o estádio do clube.
Nada, não. Havia sobrado uma camisa, uma História, uma estrela... e a paixão. Infinita. O "holocausto" Alvinegro teve fim em outro mês de junho, um inesquecível dia 21. E lá estava o menino. Agora aos 33 anos. Pai de um filho. A mesma meninice. A mesma emoção ao comemorar seu segundo título. A paixão, intocada.
O Botafogo nunca permitiu que a criança morresse no coração do homem. E, mais por isso que por qualquer outra coisa, o Botafogo é fundamental.
Eterna paixão no coração do menino que ainda resta em mim. Botafogo.

Obs: Hoje, 22/03/2015/, encontrei com o Roberto Miranda, que foi quem fez "meu primeiro gol" no Maracanã. Roberto é aqui de Niterói, muito boa gente, um dos maiores artilheiros da história do Botafogo e campeão do mundo em 1970 no México, era reserva do grande Tostão. Em sua homenagem republico o texto acima que foi publicado originalmente em 04/05/2013.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

12 comentários:

  1. Texto lindo e emocionante. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo! Representa a emoção de muitos meninos que, como você, e do ES viveram essa emoção! Parabéns. Sempre textos deliciosos.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo1/01/2018

    Me chamo Afranio, eu moro no ES, em 1968 eu tinha 10 anos, eu assistir em jogo na casa de uma família vascaínos, porque na minha casa nós não tínhamos tv. Eu me lembro também de um senhor que morava, na minha rua é era amigo da minha família, é vascaíno doente, ele foi no Maracanã, assistir a decisão, eu falou que ia ser 4 a 0 pró Vasco, é ele ia parece na tv, comemorando, é ia mandar beijos da Vitória do Vasco prá nós.
    Lindo é emocionante texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, conterrâneo. Saudações alvinegras!

      Excluir
  4. Mesmo ao reler o texto a emoção aflora. É a força das suas palavras que engrandece o fato.

    ResponderExcluir