>-->

Deles são meus braços

By | 17:41 Leave a Comment
Era pobre
Não tinha bens
O único bem
Que tinha
Era um bom coração
E com ele
Saiu pelo mundo
Distribuindo amor

Disseram-no louco
E internaram-no no hospício
Ao atravessar o corredor
Por detrás dele
Começou uma procissão
De maltrapilhos
Loucos varridos
De sua humanidade

Caminhou até o meio do pátio
Virou-se para a turba
Que o acompanhava
Em louco silêncio
E disse:
Vinde a mim os loucos!
Vinde a mim os despossuídos!
Deles são meus braços!

E  naquele eterno momento
Deu-se o mais louco e belo abraço
De todos os tempos.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: