>-->

O Palácio do Planalto parecia uma delegacia de polícia ontem

By | 11:59 Leave a Comment
Todos os partidos pegos levando grana de empreiteiros afirmam em sua defesa o mesmo: que as tais "doações" foram legais.
Aos fatos: o que levaria um único empreiteiro, Ricardo Pessoa, dono da UTC, a "doar" R$ 54 milhões para partidos apenas em 2014? Amor à pátria, consciência de seu deveres como cidadão, ou abrir portas para as negociatas que estão vindo à público através da Operação Lava Jato?
Ainda que seja tudo legal, e não é!, é profundamente asqueroso que em um País onde milhões de pessoas dependam de esmolas do Estado para sobreviver, esse mesmo Estado seja saqueado por canalhas de todos os matizes ideológicos.
Alegar "que só fazemos o que tudo mundo já fazia", antes de ser uma confissão de inocência, ao contrário, é de culpa.



Vergonha alheia
Ministros do governo Dilma Roussef (Edinho Silva e Aloýsio Mercadante), dentro do Palácio Planalto, sede do poder, dando depoimentos alegando inocência das acusações de terem recebido propinas do empreiteiro Ricardo Pessoa como se estivessem em uma delegacia de polícia. O  triste espetáculo ocorreu ontem.
Nem noção da liturgia do poder essa gente tem
Além de tudo são de uma incompetência, de uma falta de senso de oportunidade e ridículo de doer. 

O Brasil está virando a República dos Corruptos Indignados!
Pena que a indignação deles só vem à tona quando descobertas suas bandalheiras, e para ficarem indignados com quem as descobre.

Aqui um comentário do Paulo Carvalho sobre a vitimização que o PT faz de si mesmo- e, o que é mais grave, de seus corruptos: 
De acordo com a mídia golpista e vendida aos interesses estadunidenses para desestabilizar a economia brasileira, dentre os citados na delação premiada de Ricardo Pessoa constam também os seguintes personagens:

- Senador Fernando Collor (PTB-AL): R$ 20 milhões.
- Senador Edison Lobão (PMDB-MA): R$ 1 milhão.
- Senador Gim Argello (PTB-DF): R$ 5 milhões.
- Senador Ciro Nogueira (PP-PI): R$ 2 milhões.
- Senador Aloysio Nunes (PSDB-SP): R$ 200 mil.
- Senador Benedito de Lira (PP-AL): R$ 400 mil.- 

- Deputado Arthur Lira (PP-AL): R$ 1 milhão.
- Deputado Júlio Delgado (PSB-MG): R$ 150 mil.
- Deputado Eduardo da Fonte (PP-PE): R$ 300 mil.

Mas o PT insiste na tese do vazamento seletivo das delações... 
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários: