29 de novembro de 2019

Mais uma do Lineu, o homem que nunca mentiu

Lambari frito dentro do Rio Calçado
Lineu é uma lenda viva de São José do Calçado (ES), a cidade onde nasci.
A maior virtude do Lineu é a de, do alto de seus 73 anos, embora pareça ter uns 20 a menos, nunca ter mentido na vida.
Já passou na ponte que liga o Rio a Niterói quando a mesma ainda era de madeira ("de pau", segundo a terminologia "lineuliana"); é o feliz proprietário de um rádio tão antigo que quando ligado ainda é possível ouvir o grande Fiori Gigliotti narrando Brasil x Uruguai pela Copa de 1950; tem uma mangueira tão antiga no quintal de sua casa que tá tão terceira-idosa (dizer velho é politicamente incorreto) que pegou o mal de Alzheimer. Dá dando jabuticaba, goiaba,laranja, romã e até jaca, menos manga. Que foi?! Podem acreditar, nunca antes na história desse país houve um homem que nunca mentiu como o Lineu.
Um dia, lá pelos inícios dos anos 80 do século passado, estávamos bebendo no boteco do Zé Peres, que ficava próximo ao Rio Calçado, quando chega o Lineu com um embornal cheio de lambaris já fritos. Fomos experimentar e não tinha tempero nenhum nos bichos, que nem limpos haviam sido.
Lineu riu e explicou: -Gente, eu tava roçando o pasto lá de casa (que fica perto do boteco) e tá um calor de rachar o lombo! Resolvi dar um mergulho no Rio pra refrescar... Mas eu tava tão quente, mas tão quente, que quando entrei n'água ela ferveu e fritou os lambaris que estavam à minha volta! Agora é só temperar e comer!
Jilozinho, depois de ouvir atentamente o Lineu, deu uma generosa beiçada no copo de pinga e disparou: - Lineu, vai mentir assim lá puta que te pariu! Você trabalhando é a maior mentira que já ouvi na vida! No sol quente então...
Gargalhada geral no recinto.
E assim, junto a amigos queridos, passei alguns dos melhores momentos de minha vida.

Lambari frito dentro do Rio Calçado  Lineu é uma lenda viva de São José do Calçado (ES), a cidade onde nasci. A maior virtude do Lineu é que, do alto de seus 73 anos, embora pareça ter uns 20 a menos, nunca mentiu na vida. Já passou na ponte que liga o Rio a Niterói quando a mesma ainda era de madeira ("de pau", segundo a terminologia "lineuliana"); é o feliz proprietário de um rádio tão antigo que quando ligado ainda é possível ouvir o grande Fiori Gigliotti narrando Brasil x Uruguai pela Copa de 1950; tem uma mangueira tão antiga no quintal de sua casa que tá tão terceira-idosa (dizer velho é politicamente incorreto) que pegou o mal de Alzheimer. Dá dando jabuticaba, goiaba,laranja, romã e até jaca, menos manga. Que foi?! Podem acreditar, nunca antes na história desse país houve um homem que nunca mentiu como o Lineu. Um dia, lá pelos inícios dos anos 80 do século passado, estávamos bebendo no boteco do Zé Peres, que ficava próximo ao Rio Calçado, quando chega o Lineu com um embornal cheio de lambaris já fritos. Fomos experimentar e não tinha tempero nenhum nos bichos e nem haviam sido limpos. Lineu riu e explicou: -Gente, eu tava roçando o pasto lá de casa (que fica perto do boteco) e tá um calor de rachar o lombo! Resolvi dar um mergulho no Rio pra refrescar... Mas eu tava tão quente, mas tão quente, que quando entrei n'água ela ferveu e fritou os lambaris que estavam à minha volta! Agora é só temperar e comer! Jilozinho, depois de ouvir atentamente o Lineu, deu uma generosa beiçada no copo de pinga e disparou: - Lineu, vai mentir assim lá puta que te pariu! Você trabalhando é a maior mentira que já ouvi na vida! No sol quente então... Gargalhada geral no recinto. E assim, no meu de amigos queridos, passei alguns dos melhores momentos de minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário