>-->

O trágico Botafogo: sobre Jobson, Heleno de Freitas e Garrincha

By | 15:51 8 comments
Jobson
Já dizia Nélson Rodrigues que o Botafogo é o clube mais passional do futebol brasileiro e que temos, nós,alvinegros, a vocação da tragédia. E a História mostra que Nélson estava correto em sua assertiva. Somos, os Botafogo, passionais, maníacos-depressivos e vamos do céu ao inferno, sem escalas, em um átimo de segundo.
Dois dos maiores ídolos de nosso futebol em todos os tempos, Heleno de Freitas e Mané Garrincha, foram personagens trágicos e saíram dos píncaros da glória para morrerem na sarjeta. Heleno internado em um hospício em Barbacena; Mané, o infinitamente grande, Garrincha, bêbado, caído em uma rua perdida de um subúrbio do Rio. Bem no meio de seu povo, do qual foi a maior de todas as alegrias. Digo sempre que nada pode ser mais gratificante para um homem que ser chamado de "A Alegria do Povo". E o homem que assim foi "batizado", morreu triste e bêbado bem no meio do seu povo, que tanto o amava. Trágico. Triste. Botafogo.
Agora temos Jobson, em minha opinião, o maior atacante do atual futebol brasileiro ao lado de Neymar. Outra tragédia que se avizinha. Tal qual Heleno e Mané, Jobson é dependente químico e luta contra a sua doença acompanhado com apreensão e esperança por toda a dramática e sofrida torcida do Glorioso. Aí me pego a pensar: onde mais Jobson poderia jogar? Onde mais a não ser no trágico e fulgurante Botafogo?!
Rogo que saia desta e não repita as tragédias de Heleno e Mané. Estamos juntos contigo em sua caminhada, Jobson. Que venha a glória! Que, espero, não antecipe a tragédia. Que Heleno e Mané te protejam. Só por hoje, garoto, sempre...

( Texto publicado originalmente em 07/03/2012, que republico em 2015, quando nova tragédia se abateu sobre o Botafogo com a queda para a Série B do Brasileirão, ao mesmo tempo que Jobson parece. mais uma vez, estar saindo da sua. Que se reergam juntos. )
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

8 comentários:

  1. Beleza de texto, Zatonio. Típico de um botafoguense apaixonado. Também torço por ele, sobretudo pelo ser humano, antes do jogador de futebol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  2. Você pegou o Garrincha e o Heleno (o Jobson ainda tem volta) e transformou-os no Botafogo todo. Saiba que o Botafogo teve inúmeros ídolos através das décadas. De tantos ídolos você pegar dois e transformá-los na decadência de vocação a tragédia é, no mínimo, falta de conhecimento literário e histórico do futebol Brasileiro.
    E o Didi, Nilton Santos, Zagallo, Amarildo, Roberto, Jairzinho, Túlio Maravilha, Vinícius... e tantos outros que brilharam, foram famosos e que não tiveram tanta infelicidade assim ? Você esqueceu-se de por o Paulinho Valentim, que foi ídolo e também teve um final trágico, mas é daí ? Dizer que é um Clube da desgraça por causa disso ?
    Sabe quantos ídolos do Flamengo tiveram a desgraça ? Nenhum. Também, quantos ídolos teve o Flamengo ? Dois: Zizinho e Zico (que não ganharam nada em se tratando de Seleção Brasileira) E o Vasco ? E o Flu ? Agora, diga-me quantos jogadores que passaram por essas três agremiações e tiveram jogadores COMUNS em tom de desgraça ? Vários. Há pouco morreu o Jordan, ex Fla, praticamente na miséria. Se ele fosse ídolo do quilate de Garrincha e Heleno, certamente o Flamengo também teria vocação para a tragédia.
    O Botafogo é o Clube dos ídolos, dos craques e daqueles que colocaram o nome do Brasil na ponta do futebol mundial.
    E você não precisa rogar a Deus para que isso se repita, o que você tem que faze é ajudar o Clube indo ao Estádio, incentivando-o, pagando o ingresso e promovendo o Fogão, coisa que faço desde 1978. Atravessei os vinte anos sem títulos, várias decepções dentro de campo (na arquibancada) e nem por isso acho o Botafogo time de tragédia Grega.
    O Botafogo está formando um centro de futebol só para a base, tem um estádio de futebol e tem trinta milhões em patrocínio só no uniforme.
    Rezar é bom, mas fazer a sua parte também o é.

    Viva o Fogão.

    ResponderExcluir
  3. Marcos, eu vou aos jogos do Botafogo desde 1968 10 anos antes de você, e conheço muito bem a história do clube, que fiz foi uma crônica sobre os dramas vívidos por dois expoentes do futebol brasileiro e ligados ao Botafogo; Paulo Valentim, que você cita, não pode ser comparado a heleno e Garrincha em grandeza. Quanto ao Flamengo, você se engana, Leônidas da Silva e Domingos da Guia foram grandes ídolos deles, assim com Dida, de quem Pelé era reserva ao se iniciar a Copa do Mundo de 1958. Respeito sua opinião, concordo com algumas coisas do que disse e discordo de outras. Todos os jogadores que citou, e que morreram tragicamente, não se comparam em prestígio na época em que jogaram a Heleno e, principalmente Garrincha. Sugiro, se é que já não leu, que leia Do Céu a Inferno, livro do grande Sérgio Augusto, sobre Botafogo. Talvez entenda o que eu quis dizer aqui, até porque ele escreve infinitamente melhor que eu. Abraço!
    Ah, e eu não disse que o Botafogo é uma desgraça, onde leu isso? Jamais faria isso com a maior paixão de minha vida junto com meu filho.

    ResponderExcluir
  4. O Fato de o autor ter escrito maravilhosamente bem não quer dize que eu vá concordar com ele. É claro que respeito à opinião de todos e cada um escreve o que quer só que as pessoas tem a mania de dizer que o Botafogo é o time azarado, o Botafogo é o time que promove a desgraça (não desgraçado), que tem em seus ídolos principais em companhia da tragédia Grega, que é um time supersticioso, e isso não é verdade, pois o Botafogo é um clube como outro qualquer, que vence, perde, tem torcida, ídolos e tudo mais. Todos os clubes tem sua superstição, a do Botafogo não é potencializada e sim bem mais falada. Quando dizem “Há coisas que só acontecem ao Botafogo” é sempre para o lado ruim, para a sacanagem, o chororô e isso é pura maldade, pois todos tem suas superstições, todos choram, todos tem seu lado ruim e só o Botafogo é que fica com essa mácula.
    Os craques citados por você não tiveram relevância alguma no futebol Brasileiro. Todos foram coadjuvantes apesar de serem craques e ídolos em seus clubes. O que falo é do craque mesmo, como Heleno, que não ganhou nada no Botafogo e sessenta anos após a sua morte fazem filme contando a sua vida. Qual craque teve esse privilégio ? Pelé, Garrincha e Heleno. Quando falo de craques digo nesse patamar. O Nilton Santos que é a Enciclopédia está um andar abaixo (e olhe que falo do Nilton Santos).
    Céu ao inferno aconteceu com todos eles. O próprio Pelé se não fosse para o Cosmos estaria falido e seria mais um dessa lista, você tem dúvida ?
    Hoje um qualquer ganha uma fortuna . O Diguinho, atleta do Flu matem um salário de duzentos e oitenta mil reais. Como esse cara vai para o Inferno ? Nunca. É craque ? Jamais. Como ele tem um montão, eu diria até a maioria.
    Essa charge do jogador (ou torcedor) com o nariz de palhaço, na chuva é infeliz. Eu não sou assim e acho que você não é, muito menos os jogadores foram ou outros serão, pois assim fica parecendo que todo alvinegro é palhaço e nós não somos palhaços, independente do que o livro diz e tenta explicar em seu corpo.

    Saudações Alvinegras.

    ResponderExcluir
  5. Marcos, quem iniciou esta história de superstição no Botafogo foi Carlito Rocha, considerado por quase todos os botafoguenses o maior dirigente que o clube já teve. De resto, me desculpe, mas você dizer que jogadores do nível de Leônidas da Silva e Domingos da Guia não tiveram relevância na história de nosso futebol é uma rematada injustiça. Quanto a tragédia: O Botafogo Futebol Clube se fundiu ao Club de Regatas Botafogo após a morte de um jogador de basquete durante uma partida entre os dois clubes. E é por ser assim que o Botafogo é o clube que tem mais obras literárias escritas sobre sua história do que os demais grandes clubes do Brasil.E, me desculpe, o Botafogo não é "um clube como qualquer outro". É o Glorioso!

    ResponderExcluir
  6. Zatonio,
    Você pega as minhas ponderações e responde. Dizer que a tragédia está ligada ao Botafogo devido ao fato do jogo de basquete ou que a superstição é do Carlito Rocha é “chover no molhado”.
    O Botafogo é um Clube como outro qualquer sim. Claro, tem muita tradição como todo outro qualquer clube. O diferencial do Botafogo são suas histórias, seu magnetismo, sua condição de transpor o que tantos outros não conseguem. Ou seja, o Botafogo tem um passado que nenhum outro clube jamais terá. Talvez o Santos chegue perto, mas só na era Pelé. A história do Botafogo se confunde com a história da antiga Capital Brasileira que era o Rio de Janeiro, dos mitos, dos gênios e da Seleção. Essa é a diferença do Botafogo, que como clube é igual a qualquer outro, como instituição está anos luz a frente.
    Não sou torcedor de ficar glorificando como “o meu é melhor que o seu” e vice-versa. Todos os clubes são importantes, com excelência para os grandes clubes Brasileiros, mas não sou idiota de passar deixar que o Botafogo seja diferenciado no aspecto lúdico da coisa, apesar disso não ganhar títulos.
    Vi o Botafogo perder de seis para o Flamengo. Foi no dia do meu aniversário e eu estava no Maracanã. Quatro anos após, vi novamente, só que foi 6x1 e também estava lá. Quatro dias após os 6x1, numa quinta feira chuvosa, eu e mais algumas testemunhas vimos o Botafogo ganhar o Santos por 1x0, gol de Cristiano (que entregou cinco dos seis do Fla). O Presidente da época tinha que descer até a geral e entregar uma medalha para cada torcedor naquele dia. E não sou de Organizada e pagava tudo do meu bolso. Tenho todos os canhotos e comprovo.
    Jamais farão um filme com Leônidas da Silva ou Domingos da guia será enredo de alguma Escola de samba do grupo especial do Rio, muito menos o Dida, eterno ídolo do Pelé, será loureado por algum ícone histórico contemporâneo. Já com o Botafogo isso ocorre de maneira leve, até certo ponto natural, pois essa magia é que se estende pelo contexto Alvinegro e não fábulas supersticiosas.
    O Carlito Rocha ganhava títulos como Presidente não porque o ônibus entrava de ré ou o Biriba dava sorte, ganhava porque o time era bom, pois bem me lembro nos vinte anos (outro factoide em dizer que foram vinte e um, pois vinte e um seria se ele não vencesse em 89) não tinha macumba ou superstição que desse jeito. Ganhou porque o time era bom e tinha um herói tão esquecido (Emil Pinheiro) que salvou o Botafogo. Vá ao Youtube e veja a estrutura alvinegra antes de 89. É de dar pena. O Botafogo iria acabar, não tenho dúvida alguma.
    Mas valeu pelos comentários e pelas colocações. O importante é que somos alvinegros (Botafogo, não Coringão ou outra coisa qualquer) e o melhor caminho para se chegar a algum lugar é a discórdia.

    Saudações Botafoguenses.

    ResponderExcluir
  7. Então ficamos assim, caba qual com seu qual, mas ambos botafoguenses. Abraço!

    ResponderExcluir