4 de julho de 2016

Alan Turing: O Estado mata e depois "perdoa" a quem matou

Alan Turing (1912-1954) foi um dos maiores responsáveis pela vitória dos países aliados na II Guerra Mundial.
Gênio da matemática, construiu uma máquina que conseguiu quebrar os códigos secretos nazistas, abreviando o fim da guerra e salvando milhões de vidas.
Nossa era digital é, em boa parte, fruto de seu brilhante trabalho.
Turing é um herói da humanidade!
Mas Alan Turing era gay, o que era considerado crime na Inglaterra à época em que viveu.
Acusado de homossexualismo deram-lhe 2 opções: castração química ou prisão. Optou pela primeira, mas a humilhação foi mais forte e o gênio cometeu suicídio em 1954.
Em 2013 a Rainha Elizabeth assinou um decreto dando o perdão real ao herói Turing.
Como assim?! No mínimo, o Estado inglês deveia é ter pedido perdão ao Turing pela covardia inominável que fez com ele.
O Estado mata e depois, "generosamente, "perdoa" a quem matou. É o cúmulo do cinismo!
Isso é o mesmo que assassinar covardemente uma pessoa inocente e depois a perdoar...
Todo Estado é covarde, arrogante e prepotente! Por isso tem de ser controlado por instituições democráticas e independentes, que não se submetam ao governo da vez.

Quem quiser saber mais sobre o grande gênio vá na Wikipédia- Alan Turing

Alan Turing: O Estado mata e depois "perdoa" a quem matou
Alan Turing, o gênio injustiçado

Nenhum comentário:

Postar um comentário